Retomando o debate em torno das influências das teorias crítica e pós-crítica no currículo Estrategia formativa para mitigar la violencia escolar en perspectiva de derechos humanos

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marcos Garcia

Keywords

Currículo, Teoria Crítica, Teoria Pós-crítica.

Resumen

Objetivo: Rever os conceitos de pedagogia crítica, a fim de relacioná-los com o atual debate curricular, apresentando a mais recente discussão representada pelo advento das teorias pós-críticas.


Conclusão: Nos tempos neoliberais em que expressões como "desenvolver habilidades", "testes padronizados" e "busca de eficiência" são a ordem do dia, não parece haver espaço para o currículo promover a criticidade diante de eventos que afetam para a sociedade. Por outro lado, há a necessidade de questionar a lógica impostas e desnaturalizar suas formas de ver o mundo ser cada vez mais necessário. Tentando contribuir com a prática, sugere maneiras de escolher tópicos educacionais e propõe uma cadeia de ações educativas destinadas a promover a relação pedagógica que reconhece e valoriza os assuntos e seus conhecimentos.


Resumen
Objetivo: Revisar los conceptos de la pedagogía crítica con el fin de vincularlos con el debate curricular actual mediante la presentación de la discusión más reciente representada por el advenimiento de las teorías post-críticas.


Conclusión: En tiempos neoliberales en los que expresiones tales como "desarrollar habilidades", "pruebas estandarizadas" y "búsqueda de la eficacia" están a la orden del día, no parece haber espacio para el curriculum que fomenten la criticidad ante los hechos que afectan a la sociedad. Por otro lado, está la necesidad de cuestionar la lógica impuesta y desnaturalizar sus formas de ver el mundo es cada vez más necesario. Intentando contribuir con la práctica, se sugiere formas de elección de los temas educativos y propone una cadena de acciones educativas destinadas a promover la relación pedagógica que reconoce y valora los sujetos y sus conocimientos.


 

Abstract 225 | PDF COMPLETO Downloads 124 HTML Downloads 13 XML Downloads 5

Citas

CANDAU, V. M. F. (2002) Sociedade, cotidiano escolar e cultura(s): uma aproximação. Educação & Sociedade, Campinas, ano XXIII, n. 79, p. 125-161, ago.

Candau, V. M. F. (2008). Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In: MOREIRA, A. F. B.; CANDAU, V. M. F (Org). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis, RJ: Vozes, p. 13-37.

Candau, V. M. F. (2011). Diferenças culturais, cotidiano escolar e práticas pedagógicas. Currículo sem Fronteiras, v. 11, n. 2, p. 240-255, jul/dez.

CANEN, A. & OLIVEIRA, A. M. A. (2002) Multiculturalismo e currículo em ação: um estudo de caso. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 21, p. 61-74.

CORAZZA, S. M. (1997). Planejamento de ensino como estratégia de política cultural. In: MOREIRA, A. F. B. Currículo: questões atuais. Campinas: Papirus.

Freire, P. (1967) Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, P. (1970). Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

Freire, P. (1980). Conscientização. São Paulo: Moraes.

HADJI, C. (2001) Avaliação desmistificadora. Porto Alegre: Artmed.

HALL, S. (1997). A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções de nosso tempo. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 15-46, jul/dez.

Hall, S. (2006). A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A.

Hall, S. (2013) Quem precisa da identidade?. In: SILVA, T. T.; et al. Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. 13ªed. Petrópolis: Vozes.

LIBÂNEO, J. C. (1986) Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola.

LOPES, A. C & MACEDO, E. (2011) Teorias de currículo. São Paulo: Cortez.

MOREIRA, A. F. B. (2001) A recente produção científica sobre currículo e multiculturalismo no Brasil (1995-2000): avanços, desafios e tensões. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.18, p. 65-81, set/out/nov/dez.

MOREIRA, A. F. B. & CANDAU, V. M. (2003) Educação escolar e cultura(s): construindo caminhos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.23, p. 156-168, maio/jun/jul/ago.

NEIRA, M. G. (2010) Por dentro da sala de aula: conversando sobre a prática. São Paulo: Phorte.

NEIRA, M. G. & NUNES, M. L. F. (2009). Educação Física, currículo e cultura. São Paulo: Phorte.

PÉREZ GOMÉZ, A. I. (2000). As funções sociais da escola: da reprodução à reconstrução crítica do conhecimento e da experiência. In. SACRISTÁN, J. G.; PÉREZ GOMÉZ, A. I. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed.

REGO, T. C. (2011). Sobre diferenças e preconceitos. In: REGO, T. C (Org). Educar para a diversidade: desafios e perspectivas. São Paulo: Moderna. p. 11-27.

RODRIGUES, T. C. & ABRAMOWICZ, A. (2013) O debate contemporâneo sobre a diversidade e a diferença nas políticas e pesquisas em educação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 1, p. 15-30, jan./mar.

SANTOS, I. L. & NEIRA, M. G. (2016) A tematização no ensino de Educação Física. In: NEIRA, M. G. Educação Física cultural. São Paulo: Blucher.

SAVIANI, D. (1991) Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Cortez/Autores Associados.

SILVA, T. T. (2000) Depois das teorias críticas do currículo. In: NÓVOA, A; SCHIEWER, J. (Org). A difusão mundial da escola. Lisboa: Educa.

Silva, T. T. (2011) Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica.

STENHOUSE, L. (1998) La investigación con base en la enseñanza. Madrid: Ediciones Morata.
VARELA, J.; ALVAREZ-URIA, F. (1992). A maquinaria escolar. Teoria & Educação, Porto Alegre, n. 6, p. 1-17.